Drogas lícitas e ilícitas e sua correlação com adolescência

A adolescência constitui um período crucial no ciclo vital para o início do uso de drogas, seja como mera vontade de experimentar, ou seja, como consumo ocasional, indevido, e somado a gravidez se torna ainda mais nocivo. O consumo de drogas durante a gestação pode ter efeitos adversos tanto no feto, que estará se desenvolvendo, como para o recém-nascido.Durante o desenvolvimento embrionário o único contato do bebê com o meio externo é a mãe, sendo esta, portanto de importância vital. A atitude da mãe durante a gravidez tem significativo peso na formação e no futuro do embrião.

Se até mesmo os hábitos alimentares e o estado emocional da gestante contribuem no desenvolvimento do bebê, muito há o que dizer sobre os costumes dos vícios, mau uso dos fármacos e suas consequências desastrosas no período da gestação. Antigamente acreditava-se que o embrião estaria protegido no útero materno e livre de agentes externos. Os efeitos do uso de drogas durante a gravidez variam de acordo com a substância usada, a dose e a idade gestacional. O período embrionário é o de maior sensibilidade na formação do ser humano. Por isso, o uso de medicamentos, drogas lícitas ou ilícitas principalmente neste estágio, desenvolve no embrião anomalias graves.

No Brasil o índice de jovens gestantes está aumentando a cada ano. Elas estão se precipitando em ter uma vida sexual ativa e não tem as informações necessárias para ter um cuidado ou um diálogo com pessoas próximas e com isso buscam em fontes incorretas. Esse problema hoje em dia não é bem visto perante a sociedade (preconceito), pois a maioria da população acha que é falta de caráter de muitas garotas, mas em alguns casos é por não ter as informações adequadas em sua educação neste âmbito. E a família não ajuda dando bons conselhos ao jovem. Que atualmente tudo é diferente é outra geração, com outros costumes, mais rápido de conseguir as coisas. Mas isso pode trazer muitas consequências no amanhã. Esse problema afeta na parte econômica, social e educacional, pois por causa da gestação as jovens largam os estudos, tem que começa a trabalhar para suprir as necessidades da criança e afeta a convivência com os parentes. E com isso a garota dá tanta atenção para criar a criança, trabalha etc. Que ela pode ficar com depressão pós-parto. E o que pode levar a menina obter problemas psiquiátricos.

Contudo é através da televisão que os adolescentes procuram obter informações sobre os problemas que as drogas podem causar para sua vida e de sua família. Pois o uso de drogas ante e durante a gestação pode resultar em espermatozoides e óvulos defeituosos, aborto espontâneo, feto com defeitos nos membros, rins, intestino, sistema urinário e coração.

Drogas são substancias capazes de alterar o funcionamento do organismo humano. Dependendo da natureza e composição das mesmas elas podem agir em determinados locais ou no organismo como um todo. Toda droga tem seus efeitos, porém eles não se manifestam da mesma maneira em todos os organismos, especialmente porque cada droga tem sua contraindicação.

Cerca de 31 milhões de adolescentes compõem a população brasileira. Eles vivenciam reformulações nos hábitos, conceitos e valores da sociedade, bem como modificações na forma de viver e enxergar questões, como sexualidade e qualidade de vida, influenciados pela sociedade, também em constante mudança. Deve-se aqui levar em consideração que a maioria dos adolescentes, enquanto seres críticos/reflexivos tem a capacidade de avaliar a incorporação ou não de tais valores e de modificá-los de acordo com suas próprias ideias.

Na adolescência, o perfil de morbidade muda em relação à infância. Agora não são mais as doenças prevalentes na infância que vão caracterizar o perfil, mas um conjunto de doenças e agravos decorrentes, sobretudo, do comportamento sexual, do uso ou não de drogas e do convívio social, os quais compõem o estilo de vida de cada adolescente.

O estilo de vida é considerado “o conjunto dos gostos, da maneira de ser de alguém; a maneira pessoal de se vestir, de se pentear, de se comportar, etc. Pode ser expresso pelos comportamentos das pessoas e pela maneira como elas se relacionam com os outros e com o ambiente.

Como elemento determinante da promoção à saúde, o estilo de vida pode constituir-se em significado importante no processo de construção de uma vida saudável e com mais qualidade de vida, a partir da adoção de hábitos de vida saudáveis, tais como: prática de atividade física, alimentação saudável, de modo que se possa enfrentar as diversas condições ou situações adversas. As relações afetivas solidárias e de cidadania devem ser estimuladas entre os adolescentes, de modo a levá-las a sentir e estar no mundo, com o objetivo do bem viver. Neste sentido, a qualidade de vida de uma pessoa é, na maioria das vezes, orientada pelo estilo que desenvolve no seu dia-a-dia.

Nesse cenário, a falta de diálogo sobre sexualidade, uso de drogas e outros problemas na família, assim como os tabus impostos por esta e pela sociedade, levam o adolescente a iniciar a atividade sexual precocemente, para a qual, muitas vezes, encontra-se despreparado. Isso gera um quadro preocupante, caracterizado pelo aumento do número de adolescentes grávidas e a incidência crescente de doenças sexualmente transmissíveis nesta faixa etária.

As drogas são substâncias capazes de produzir alterações nas sensações físicas, psíquicas e emocionais. Sendo assim, energéticos, café, refrigerantes, chocolates, dentre muitos outros alimentos, contêm substâncias que podem ser consideradas drogas, pois alteram de alguma maneira as sensações de quem as ingere. Estas, porém, se ingeridas em quantidade moderada não representam nenhuma ameaça para o ser humano. Se, no entanto, são demasiadamente utilizadas por alguém, podem causar uma leve dependência e problemas de saúde futuros.

Elas são utilizadas para diversos fins desde a antiguidade. Podem ser utilizadas para curar doenças ou obter prazer. Entre as drogas lícitas estão os medicamentos em geral (os quais só são permitidos sob prescrição médica), o álcool e o cigarro, além dos alimentos já citados. Já entre as principais drogas ilícitas estão à maconha, a cocaína, o ecstasy, o crack, a heroína, etc. Existem ainda outras substâncias que causam dependência, mas que são vendidas livremente para outros fins como a cola de sapateiro e o hypnol. Há diversas outras drogas que também são utilizadas da mesma maneira e algumas delas ainda nem são conhecidas pelo ministério da saúde e pelas autoridades judiciais.

As drogas ainda se dividem quanto ao seu efeito no organismo humano: drogas depressoras são as que causam efeitos semelhantes aos da depressão (álcool, cola de sapateiro, loló, lança-perfume, tranquilizantes e remédios para dormir); drogas estimulantes, como o nome diz, causam o aumento da adrenalina, uma sensação de alerta, o aumento dos batimentos cardíacos e podem levar até ao ataque cardíaco. Levam cerca de 15 segundos para chegarem ao cérebro (crack, ecstasy, cocaína, maconha, LSD, etc.); há ainda o grupo dos, onde encontra-se a heroína, a qual compromete a maioria das funções do corpo humano. Não falamos aqui do tabaco, do álcool e dos esteroides (bomba), os quais são responsáveis por diversas outras doenças atualmente devido à grande incidência de uso destas drogas.

Com exceção das drogas que são utilizadas para fins medicinais, as demais em nada contribuem para o crescimento e desenvolvimento das pessoas como seres humanos. Além dos prejuízos no âmbito da saúde do indivíduo, que são irreparáveis e muitas vezes incontroláveis, há um prejuízo imensurável no que diz respeito à vida social, familiar, emocional e psicológica da pessoa. Por esse motivo, é preciso uma campanha de conscientização constantes, além de ser extremamente necessário o atendimento de famílias carentes para que elas possam ter condições de manterem-se e não caírem em doenças como a depressão que levam naturalmente ao uso das drogas.

A condição social do indivíduo é influente e contribui para o uso ou não das drogas, pois na maioria das vezes estas são consideradas uma fuga da realidade que essas pessoas enfrentam, e por isso se torna tão frequente o seu uso.

Um outro fator importante é a formação individual que cada um deve receber enquanto ser humano. Esse é um dos principais motivos de jovens do mundo inteiro recorrerem às drogas, o fato de se sentirem sozinhos ou perdidos, sem muitas experiências de vida e sem boas referências para descobrirem que caminho querem seguir. Essa batalha não é simples e não se resolve apenas com informações básicas como estas a respeito do uso de drogas, mas já é um começo.

Temos que encarar que qualquer pessoa pode cair nessa “cilada” e que para evitarmos maiores danos temos que ser exemplos de pessoas que não precisam fazer uso desses artifícios para ser bem-sucedidos pessoal e profissionalmente.

A pesquisa de opinião tem como fator primordial na aprendizagem o trabalho em grupo, o que leva a ação de desinibição e o enriquecimento da abordagem, possibilitando o entendimento do tema, o uso de drogas antes e durante a gestação na adolescência.

Os adolescentes adotam um estilo de vida comum, real e passivo, expondo-se aos diversos riscos, conforme a condição oferecida pelo local onde habitam, tanto no ponto de vista individual como no coletivo.

Os hábitos de higiene corporal e sono, da maioria deles, são considerados bons, com exceção da alimentação, o que remete diretamente à vulnerabilidade individual e indiretamente à vulnerabilidade social. Inversamente à falta de lazer, há um maior consumo de álcool e cigarros. Enquanto isso, o acesso (porém não consumo) a drogas ilícitas está sempre presente. Na sexualidade, há um gosto pelo “ficar”, relacionamento em que “rola tudo” e, portanto, a iniciação sexual ocorre precocemente. A falta de diálogo sobre sexo e sexualidade com pessoas de credibilidade leva os adolescentes a uma vulnerabilidade real que jamais poderia ser omitida por familiares, por educadores e pelas equipes de saúde.

Foi possível visualizar a ausência de elementos, ditos essenciais, como ensino público de qualidade, lazer/diversão, ambiente social (tipo praça e quadras de esportes, bibliotecas), para atender à necessidade dessa faixa etária e à população como um todo, no seu caminhar cotidiano.

Diante da análise, pode-se afirmar que o estilo de vida adotado pelos adolescentes traz consequências para a própria realidade de qualidade de vida da sua família, que já é precária, e da sociedade. Entretanto, ainda levando em conta que a pobreza é um poderoso determinante de vulnerabilidade, é preciso considerar que, mesmo em populações pobres, há diferenças internas de extrema relevância para a qualidade de vida, tais como o grau de escolaridade, cultura, religiosidade de origem étnica, aspectos que, vistos na dinâmica conformadora de intersubjetividade, devem ser considerados, necessitando, dessa forma, de uma atenção voltada, com ênfase, para o melhoramento global da população do bairro.

REFERÊNCIAS

CAPUTO, Valéria Garcia; BORDIN, Isabel Altenfelder. Gravidez na adolescência e uso frequente de álcool e drogas no contexto familiar. Revista saúde pública, v.42, n.3, p. 402-410, 2008.

COSTA, A. C. L. A família e as drogas. In: Bucher, R. Prevenção ao uso indevido de drogas. 2v, p. 77-84. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1989.

FAUSTINI, Dulce Méri Tótola; NOVO, Neil Ferreira; CURY, Maria Cristina Faria da Silva; JULIANO, Yara. Programa de orientação desenvolvido com adolescentes em centro de saúde: conhecimentos adquiridos sobre os temas abordados por uma equipe multidisciplinar. Ciência e saúde coletiva, v.8, n.3, São Paulo, 2003.

TORRES, Patrícia Lupion (Org.). Uma leitura para os temas transversais: ensino fundamental. A transversalidade e noções sobre as drogas psicotrópicas. P. 275 – 321. Curitiba: SENAR-PR, 2003.

YAMAGUCHI, Eduardo Tsuyoshi; CARDOSO, Mônica Maria Siaulys Capel; TORRES, Marcelo Luis Abramides; ANDRADE, Arthur Guerra de. Drogas de abuso e gravidez. Revista de psiquiatria clínica, v.35, s.1, São Paulo: 2008.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Artigos Blog
Login/Register access is temporary disabled